O setor abre ainda mais espaço para soluções com automação e tecnologia LED

 

O segmento de iluminação há muitos anos passou a ser sinônimo de tecnologia. Hoje, os LEDs e a automação são uma realidade e ganham força em um mundo que sonha com o pós-isolamento social e que já possui um olhar diferenciado para a valorização das pessoas e em qualidade de vida.

Cristiane Paulovich, gerente de produtos da Sonepar, conta que 2021 traz grandes oportunidades para o setor de iluminação, diante das inovações já presentes do mercado. “Hoje, quando falamos desse tema precisamos diretamente falar de tecnologia. Uma coisa está ligada a outra”, conta. O foco, principalmente olhando para um mundo pós-isolamento social, é dar destaque para as soluções de baixo contato físico, como sensores por exemplo.

“Em 2020, a população em geral viu a necessidade de realizar melhorias dentro de casa, focadas no ambiente onde estavam vivendo, para deixar os lares mais aconchegantes e funcionais. A iluminação também entrou nesse contexto. Agora, a retomada do trabalho presencial implicará também no ambiente onde essas pessoas irão trabalhar. A iluminação precisa ser boa, mas é fundamental que tenha automação para possibilitar o menor contato possível com as superfícies”, explica a profissional.

Para Allan Siqueira, especialista em Iluminação da Eletronor, a automação será bem importante em 2021 por conta da eficiência, da sustentabilidade e do volume de informações que o próprio sistema de iluminação pode fornecer, permitindo readequações de layout ou de horários de uso de cada área, por exemplo. “Uma das tendências é automação da iluminação focada no ser humano, seja ela permitindo que cada usuário ajuste a iluminação conforme sua necessidade ou proporcionando maior conforto pelo próprio sistema”, conta.  “Conseguimos ajudar os clientes a alcançar o menor consumo possível de energia elétrica, o menor custo de manutenção e uma gestão da iluminação através de sistemas de automação e supervisórios que forneçam informações e status em tempo real de uso”, explica o expert.

Já Thiago Sousa, coordenador de produtos de iluminação da Nortel, afirma que podemos esperar cada vez mais conexão com os usuários, como através do Li-fi, sinal de internet distribuído pela luz, ou mesmo das melhorias voltadas ao conceito Human Centric Light. “Hoje para todos os projetos, consultorias e solicitações que temos, ofertamos soluções completas, com iluminação conectável e que facilite o gerenciamento de luz e manutenções”, explica. E o vasto portfólio ainda permite agregar muita tecnologia no combate ao Covid-19. “A princípio temos as luzes UVC, que possuem tecnologia para desativar o vírus. Outra forma de proteção é evitar toque em equipamentos para acender as luzes, utilizando sensores e controles ou mesmo o gerenciamento do espaço com mapa de calor por meio da iluminação”, conta.

Adriano Gratão, gerente de produtos da Dimensional, complementa e ressalta que podemos esperar uma aceleração ainda maior da transformação digital, iOT e conectividade, na qual a iluminação também é o foco, mas para que todas essas possibilidades ganhem escala e cheguem a nossos clientes de maneira efetiva e profissional, ter uma estrutura e empresa capacitada voltada a tecnologia e sustentabilidade, é essencial. “Seguimos constantemente capacitando e treinando nosso time de especialistas para este novo modelo e tecnologia da iluminação interativa, conectada e inteligente, além de desenvolver parcerias estratégicas e uma estrutura interna voltada para suportar esta demanda. Afinal, os clientes cada vez mais exigirão e esperarão, principalmente pós isolamento social, cada vez mais tecnologia, conforto, segurança e uma nova experiência de compra, e estamos prontos para ofertar isso”, finaliza.

Últimas notícias Exibir todas as notícias